BR Properties tem recorde de locações de imóveis corporativos em 2018

BR Properties tem recorde de locações de imóveis corporativos em 2018

São Paulo, 07/02/2019 – A operadora de imóveis corporativos BR Properties encerrou o ano de 2018 com 118 mil m² de área bruta locável (ABL) comercializados, um recorde na história da companhia. Durante o último trimestre do ano, as locações somaram 39 mil m², sendo que 14,7 mil m² foram no Edifício Passeio Corporate, no Rio de Janeiro. A companhia ainda acertou a pré-locação para WeWork de 100% do Edifício Centenário, localizado em São Paulo e que ainda passa por retrofit.

Não houve devolução de áreas por parte de inquilinos no último trimestre. A BR Properties destacou ainda que o mês de dezembro concentrou 90% do volume de locações do trimestre, indicando maior confiança das empresas após a definição no cenário eleitoral.

 

Outro destaque foi o mercado do Rio de Janeiro, que respondeu por 62% das locações da companhia no ano, refletindo a migração de empresas para prédios corporativos com melhores estrutura e localização – movimento chamado no mercado pelo jargão “flight to quality”.

 

Com o avanço das locações, a vacância financeira do portfólio caiu de 22% do fim de 2017 para 19,5% no fim de 2018, enquanto a vacância física recuou de 30,2% para 24,6% no mesmo período. O valor médio do aluguel nas mesmas propriedades subiu 0,4%, e a inadimplência baixou de 0,2% para 0,1%.

 

Tendências – As locações de edifícios corporativos no Rio de Janeiro tendem a continuar se recuperando ao longo deste ano e, talvez, até superar o volume de comercialização registrado no ano passado, de acordo com estimativa do presidente da BR Properties, Martin Jaco. “O movimento de flight to quality deve continuar e se intensificar neste ano”, afirmou, durante reunião com investidores. “Com isso, o volume de locações pode ser até maior do que em 2018”, afirmou o executivo.

 

Jaco disse que os edifícios na região central no Rio são os mais demandados e devem reduzir a vacância mais rapidamente do que os imóveis em outras regiões. Além disso, a recuperação da indústria de óleo e gás tende a aumentar gradualmente a demanda por escritórios corporativos na capital fluminense.

 

Por outro lado, reiterou as projeções de que uma elevação dos valores dos aluguéis ainda não está no radar no curto prazo no Rio, podendo começar só a partir de 2020, pois a vacância ainda é considerável na cidade.(Circe Bonatelli – circe.bonatelli@estadao.com)

Fique por dentro do Mercado Imobiliário! Receba conteúdos gratuitamente.

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.