Plenário do senado aprova destaques e projeto de distrato retornará à câmara dos deputados

Cbic projeta alta em torno de 10% nos lançamentos e nas vendas de imóveis em 2018

São Paulo, 26/02/2018 – O mercado imobiliário deve ter um crescimento em torno de 10% nos lançamentos e nas vendas no País, como reflexo da recuperação do cenário macroeconômico, de acordo com projeção divulgada há pouco pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).

“Temos fatores que nos permitem dizer que a economia neste ano será melhor do que no ano passado”, comentou, há pouco, o presidente da Comissão Imobiliária da CBIC, Celso Petrucci. “A expectativa dos empresários é de crescimento praticamente no Brasil inteiro”, completou.

Petrucci citou que, em 2018, há expectativa de crescimento dos postos de trabalho para a população, manutenção ou queda da taxa básica de juros, manutenção da inflação dentro das metas do Banco Central e estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB).

“O País vai crescer mais, vai empregar mais, com inflação e juros sob controle. A tendência é que os índices de confiança continuem positivos. Isso é que dá sustentação para a nossa estimativa de crescimento das vendas e dos lançamentos”, explicou Petrucci.

O presidente da CBIC, José Carlos Martins, afirmou que a demanda por imóveis tende a se concretizar em vendas nos próximos trimestres, ao contrário do que ocorreu nos anos anteriores. “Durante o período de recessão, as vendas de imóveis caíram e a demanda ficou reprimida. Mas quem não comprou o imóvel ainda está esperando o melhor momento para efetivar a compra. O investimento foi postergado, mas com a melhora da economia, tende a ser retomado”, avaliou.

Martins, ponderou, entretanto, que há alguns fatores que podem limitar o crescimento do mercado imobiliário, como a escassez de fontes de financiamento para a compra e venda de imóveis. “O problema (de disponibilidade de capital) da Caixa Econômica Federal ainda não está totalmente solucionado”, afirmou, referindo-se aos gargalos do banco estatal para ampliar os empréstimos e reduzir a taxa de juros do crédito imobiliário.

O presidente da CBIC lembrou também que o setor de construção aguarda a regulamentação dos cancelamentos de vendas – os chamados distratos. O tema voltou ao radar do governo federal após as discussões para aprovar no Congresso a Reforma da Previdência terem ficado em segundo plano. “É importante ter regras nos distratos para garantir maior segurança jurídica”, ressaltou.

Martins comentou ainda que os números registrados pela pesquisa de 2017, com avanço dos lançamentos e das vendas, foram melhores do que o imaginado. “O ano de 2017 foi um ano de virada, com mudanças importantes na economia brasileira”, observou. (Circe Bonatellicirce.bonatelli@estadao.com) 27/02/2018 18:31:13 – AE NEWS

Fique por dentro do Mercado Imobiliário! Receba conteúdos gratuitamente.

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.