13 dicas para comprar o primeiro imóvel

Confira 13 dicas para comprar o primeiro imóvel

Comprar o primeiro imóvel é a realização de um grande sonho, e decidir qual é o melhor lugar para morar é algo que sempre gera muitas expectativas. Isso porque esse é o momento em que a pessoa resolve que precisa ter um local próprio ou é quando o casal vai dar o primeiro passo em sua vida a dois.

Além disso, também há aqueles que querem uma propriedade para investir em locação, por exemplo. Seja qual for o caso, é sempre uma decisão importante e que precisa ser feita com muita atenção. Afinal, um imóvel é um bem valioso e, por isso, é preciso estudar bem a compra, antes de efetuá-la.

Portanto, é necessário controlar o impulso para, assim, conseguir visualizar melhor as oportunidades e fazer um bom negócio. Enfim, são muitas as escolhas que precisam ser feitas na hora de comprar o primeiro imóvel. E, para ajudar você nessa jornada, separamos algumas informações preciosas sobre como comprar um imóvel. Confira!

13 dicas sobre como comprar um imóvel

1. Reflita sobre qual a hora certa de comprar

O momento certo de comprar a casa própria não tem apenas a ver com os recursos disponíveis. O ideal é que seja uma decisão bem pensada, em que você avalie seu momento de vida. Muitas vezes nos precipitamos em uma decisão importante e depois vem o arrependimento.

Em se tratando da casa própria, é um grande investimento e precisa, sim, ser bem planejado. São detalhes que podem definir o tamanho do imóvel, o local ideal, entre outras características que dependem de alguns fatores, como se sua família está formada ou se deseja ter mais filhos, entre outros.

2. Escolha entre um imóvel novo ou usado

Se você está na dúvida entre comprar um imóvel novo ou usado, saiba que existem ótimas opções para ambas as situações. Mas, se você precisa de um apartamento para morar com certa urgência, o melhor é adquirir um imóvel usado.

Por outro lado, se você puder aguardar um tempinho, o ideal é comprar um imóvel na planta, pois, assim, você pode conseguir um valor melhor. Além disso, um imóvel novo é sempre mais moderno e é um local onde ninguém morou ainda. Por isso, muitas pessoas preferem essa opção.

Veja as principais vantagens de comprar um imóvel novo!

Condomínios mais baratos

Não há como negar que os condomínios mais novos contam com mais recursos e têm uma melhor infraestrutura. São, muitas vezes, mais baratos que os mais antigos porque não necessitam de muita manutenção, já que não requerem consertos e melhorias. Isso não acontece com os antigos, que têm sempre algo a fazer.

Plantas melhores

As configurações dos imóveis novos são mais modernas. Apesar de, muitas vezes, serem menores, eles seguem o conceito aberto que aproveita mais os espaços. Outra vantagem é que a construtora, muitas vezes, adapta o espaço ao estilo do morador, atendendo a algumas de suas necessidades, antes mesmo da entrega das chaves.

Segurança

As tecnologias que garantem mais segurança aos moradores estão sempre evoluindo. Sendo assim, os novos empreendimentos são lançados com tudo de mais moderno relacionado ao setor.

3. Defina quais detalhes são importantes

Na hora de comprar um imóvel, é essencial avaliar todos os detalhes. Se ele for usado, é muito importante prestar atenção em todo o acabamento, e também se existe algum vazamento, por exemplo. Nesse momento, muitas pessoas levam um profissional, como um engenheiro ou arquiteto, para analisar o local. Com isso, é possível ter certeza de que nenhum item será esquecido.

Outro ponto relevante é reparar se a região é barulhenta durante o dia ou à noite. Para isso, compensa passar pelo local em diversos dias e horários para observar o movimento e conversar com os vizinhos.

Além disso, é interessante conhecer como são as ruas próximas ao imóvel que pretende comprar e se informar sobre os índices de segurança do bairro. Também é fundamental saber se o trânsito da região é muito intenso, por exemplo.

4. Determine qual localização é a melhor para você

Escolher um imóvel bem localizado, com metrô próximo, linhas de ônibus disponíveis e comércio perto, entre outras questões, é algo muito interessante, pois poderá valorizar a propriedade, se você quiser vendê-la depois. Dê preferência para imóveis que fiquem próximos ao seu local de trabalho ou que tenham fácil acesso a outras regiões da cidade.

Além de contribuir para a valorização do bem, comprar uma casa ou apartamento em uma região bem localizada melhora muito a qualidade de vida dos moradores. E, caso seja necessário utilizar o transporte público, morar perto do metrô facilita bastante, não é mesmo?

5. Considere as necessidades da família

Antes de se aventurar em busca da casa própria, coloque no papel as necessidades de sua família. Afinal, esse é o investimento da sua vida e buscar a melhor opção, que atenda às necessidades de quem você ama é fundamental, não é mesmo?

Sendo assim, não se importe tanto com o tempo que isso vai levar. Busque um local que tenha tudo o que sua família precisa, como uma boa infraestrutura de transporte, escolas, mercados, e tudo mais para se levar uma vida tranquila.

6. Analise a documentação do imóvel

Antes de comprar o primeiro imóvel, é muito importante fazer uma pesquisa para saber se o empreendimento está dentro das leis. Para isso, vale muito a pena consultar uma imobiliária ou um advogado, que fará uma boa análise da propriedade. É algo que demandará certo investimento, mas é fundamental fazer isso antes da compra, para não cair em uma cilada.

Conheça os documentos de imóvel usado que devem ser checados:

  • cópia da matrícula atualizada: nesse documento consta o dossiê da propriedade. Sua solicitação deve ser feita no Cartório de Registro de Imóvel da região. O próprio vendedor indica o local correto, assim como fornece o número de matrícula;
  • certidões: o comprador deve consultar alguns documentos, como Certidão Negativa de Débitos na Junta Comercial, Certidão de Nascimento, Certidão de Distribuição Cível, Certidão Negativa de Débitos Federais de Pessoa Física, Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas;
  • IPTU e condomínio: para checar se o IPTU do imóvel está em dia é só pedir ao vendedor o número do contribuinte. Depois, entre em contato com a prefeitura da cidade.

7. Saiba se deve ou não usar o FGTS

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) é pago pelo empregador ao funcionário que trabalha em regime CLT. O valor é pago mensalmente durante a vigência do contrato de trabalho e equivale a 8% do salário.

Entretanto, para aproveitar o fundo para adquirir uma casa ou apartamento, é necessário preencher uma série de requisitos. Veja:

  • ter ao menos 3 anos de carteira assinada;
  • não ser proprietário de imóvel na cidade em que pretende comprar;
  • trabalhar ou morar no município onde o imóvel que pretende comprar está localizado;
  • não ter financiado nenhum imóvel pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH).

Se você tem um valor de FGTS e pode utilizá-lo para comprar o primeiro imóvel, essa é uma excelente opção. Afinal, como todos sabem, o FGTS “parado” rende pouco e é muito mais vantajoso ter esse valor investido em um imóvel, que costuma ser sempre um bom negócio.

8. Entenda como funciona a compra de um imóvel

Como já foi dito, adquirir uma propriedade é um momento único e que exige muito investimento financeiro. Por conta disso, é fundamental se cercar de certezas por todos os lados, para evitar surpresas desagradáveis. Então, além de pesquisar na internet, converse com amigos e familiares que já passaram por essa experiência.

Questione essas pessoas sobre as escolhas que elas fizeram na época e o que elas fariam diferente, se pudessem. Dessa forma, você pode ouvir situações práticas das informações que absorver durante as suas pesquisas.

9. Analise as formas de pagamento

Existem várias opções para realizar o pagamento de um imóvel. A alternativa mais vantajosa é pagar à vista, já que, assim, é possível negociar com mais facilidade e conseguir descontos. Entretanto a maioria das pessoas não tem tanto dinheiro guardado para realizar o feito e precisa recorrer a outros meios.

O financiamento com a construtora, o financiamento bancário e o consórcio são as principais. Falaremos um pouco mais sobre o funcionamento de cada uma delas, a seguir.

Financiamento com a construtora

Muitas construtoras oferecem aos seus clientes a possibilidade de financiar com seus próprios recursos os imóveis que vendem. A empresa tem total interesse em vender rápido e, por conta disso, de modo geral, essa alternativa é mais flexível do que solicitar crédito bancário. A desvantagem é que o prazo para o pagamento costuma ser menor.

Financiamento bancário

Essa é a opção mais popular e acontece quando uma instituição financeira disponibiliza o crédito necessário para que o interessado pague parte do imóvel. Existem várias modalidades para se realizar o pagamento desse financiamento, e cada uma tem as suas regras, prazos, e taxas de juros.

A maioria dos bancos que oferecem crédito imobiliário disponibilizam uma simulação online no site da empresa. Vale a pena aproveitar esse recurso para calcular o prazo, o valor das parcelas e da entrada.

Consórcio

Os consórcios também podem ser um caminho interessante para quem quer comprar um imóvel, mas não tem muita pressa para se mudar. A grande vantagem dessa opção é que é possível realizar o parcelamento de 100% do valor do imóvel.

O pagamento dos consórcios também é feito por meio de parcelas mensais, mas não existe a cobrança de juros — apenas é cobrada uma taxa de administração. A desvantagem é que a contemplação, ou seja, a entrega da carta de crédito pode demorar anos.

10. Faça um planejamento financeiro

Seja qual for a forma de pagamento escolhida, é fundamental ter um planejamento financeiro e começar a poupar. Além do valor da casa ou do apartamento, será preciso ter dinheiro para arcar com outras despesas. Por isso, é sempre bom planejar o pagamento de taxas de transferência e documentos, despesas com a mudança e, em alguns casos, a compra de móveis e eletrodomésticos.

Se optar por um financiamento, também é preciso reservar uma quantia para dar como entrada. O valor solicitado varia, mas, geralmente, é de 30% do preço final do imóvel. Quanto maior for a entrada, menor será a dívida do financiamento e maior será o seu poder de negociação com o vendedor.

Sendo assim, é essencial organizar as suas despesas e receitas para saber se é possível economizar em algum item, ou se será necessário realizar um trabalho extra para ganhar mais dinheiro.

11. Tenha uma reserva

É comum que as pessoas se empolguem nesse momento importante da vida e se apressem em decidir as coisas, inclusive quanto ao valor da entrada, colocando, muitas vezes, a reserva em risco. Esse erro pode custar sua tranquilidade nos próximos anos. Afinal, quem é que vive tranquilo sem uma reserva?!

A dica é fazer tudo com calma e se lembrar de deixar uma quantia para os momentos de dificuldades — visto que os gastos com mudança e decoração são muitos e você pode entrar no vermelho por isso. É importante dar a maior entrada possível à vista, mas garantir os recursos necessários para emergências.

12. Estude a situação do mercado

O mercado imobiliário é extremamente dinâmico e é influenciado por diversas questões, como a política e a economia do país. Dessa forma, é interessante acompanhar as notícias para entender se é o melhor momento para adquirir um imóvel.

Assim, é possível saber se os preços dos imóveis da sua cidade estão sendo vendidos por valores menores e aproveitar o momento para fazer um negócio melhor. Outro ponto que merece a sua atenção são as regras e taxas de juros que são oferecidas no financiamento imobiliário. Elas também sofrem alterações constantes e devem ser acompanhadas de perto.

13. Escolha um corretor de confiança

Escolher um bom corretor de imóveis é essencial para tornar o processo de compra mais tranquilo e seguro. Ele é o especialista no mercado imobiliário e é o único profissional regulamentado para intermediar transações imobiliárias. Antes de fechar uma compra, é importante verificar, por exemplo, se o corretor tem o registro do CRECI (Conselho Regional de Corretores de Imóveis). Isso significa que ele está apto a acompanhar você durante a aquisição.

O corretor de imóveis poderá tirar todas as suas dúvidas sobre como comprar um imóvel e ainda vai auxiliar você com a documentação necessária para a aquisição, garantindo que você realizará um bom negócio.

Agora que você já sabe como comprar um imóvel, o próximo passo é buscar um portal imobiliário que ajude, com toda a sua tecnologia, a encontrar o imóvel do jeitinho que você deseja. Hoje, os portais contam com imagens e vídeos que auxiliam muito na busca por um imóvel.

Gostou deste conteúdo? Se você está em busca da casa própria, acesse nosso site: somos um portal imobiliário e teremos o maior prazer em ajudar na sua busca pelo imóvel ideal!

Fique por dentro do Mercado Imobiliário! Receba conteúdos gratuitamente.

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

2 Comentários

  1. Muito bom suas dicas !!

    Obrigado por compartilhar!!!

  2. ESTOU VENDENDO MEU APARTAMENTO!!!
    APARTAMENTO EM SÃO PAULO ZONA NORTE
    APARTAMENTO PERTO DE ESCOLAS, SUPERMERCADOS,PADARIAS, FARMÁCIAS, HOSPITAIS E 3 MINUTO DA MARGINAL TIETÊ.
    APARTAMENTO:
    2 QUARTOS
    2 BANHEIROS
    SALA AMPLA
    COZINHA GRANDE
    O CONDOMÍNIO POSSUI: PLAYGROUND, ACADEMIA, QUADRA DE FUTEBOL, PISCINA, SAUNA , SALÃO DE FESTAS, SALÃO DE FESTAS.
    MAIS INFORMAÇÕES:(11)950670917
    WATTS

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.