Crédito imobiliário deve totalizar R$ 126 bilhões em 2019, alta de 7% ante 2018

Crédito imobiliário deve totalizar R$ 126 bilhões em 2019, alta de 7% ante 2018

São Paulo, 30/01/2019 – O crédito para a compra e a construção de imóveis no País deve atingir R$ 126 bilhões em 2019, o que, se confirmado, representará um crescimento de 7,0% em comparação com 2018, de acordo com estimativa divulgada pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).

As previsões apontam que os financiamentos com recursos originados nas cadernetas de poupança devem atingir R$ 69 bilhões em 2019, alta de 20%, enquanto os empréstimos com dinheiro do FGTS devem somar R$ 57 bilhões, recuo de 5%.

 

O presidente da Abecip, Gilberto Duarte, afirmou que as projeções de expansão do crédito imobiliário se devem às perspectivas positivas para a economia brasileira, com aceleração do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), queda gradual do desemprego, melhora da renda da população, bem como manutenção da taxa básica de juros (Selic) em patamares historicamente baixos.

 

Duarte ponderou, entretanto, que as projeções para o volume de desembolsos poderão sofrer alterações ao longo do ano de acordo com o andamento das reformas estruturais da economia nacional – principalmente a previdenciária.

 

“Nós traçamos um cenário para o crédito que é intermediário para 2019. Se as reformas não forem feitas, a economia perderá vigor e a projeção pode ser revista para baixo”, afirmou há pouco, durante entrevista coletiva à imprensa. Já se as reformas forem feitas, acrescentou Duarte, isso se traduzirá em expectativas mais otimistas entre o setor produtivo e o setor financeiro, com tendência de ampliação de investimentos e empréstimos.

 

Como foi em 2018? – Os financiamentos totalizaram R$ 117 bilhões em 2018, aumento de 15% em comparação com 2017, de acordo com dados divulgados pela Abecip. O desempenho ficou em linha com as expectativas da associação, que previa um crescimento na ordem de 15% a 17% para os desembolsos no ano.

 

Os empréstimos com recursos da poupança alcançaram R$ 57,4 bilhões em 2018, alta de 33%, enquanto o crédito com recursos do FGTS bateu em R$ 60 bilhões em 2018, crescimento de 2%.

 

No caso da linha com recursos da poupança, foi registrado aumento de 35% nos empréstimos para compra de imóveis usados e alta de 26% para unidades novas. A pesquisa mostrou também que os desembolsos desta linha para financiar a construção de imóveis (crédito destinado a empresas) teve alta de 43% em 2018, e para compra de imóveis (pessoas físicas) teve expansão de 30%.

 

Calotes – A inadimplência da carteira de crédito imobiliário recuou de 1,5% em 2017 para 1,3% em 2018, de acordo com o balanço. A inadimplência baixa mesmo após a maior crise econômica da história nacional mostrou que o sistema financeiro imobiliário no País é resiliente, destacou Duarte. “Com a inadimplência baixa, o apetite de bancos para empréstimos é ainda é maior”, enfatizou, durante entrevista coletiva à imprensa. (Circe Bonatelli – circe.bonatelli@estadao.com)

Fique por dentro do Mercado Imobiliário! Receba conteúdos gratuitamente.

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.