Crédito Imobiliário com poupança recua até junho e bancos revisam projeções

São Paulo, 26/07/2017 – Os financiamentos imobiliários com recursos da poupança (SBPE) totalizaram R$ 20,6 bilhões no primeiro semestre deste ano, montante 9,1% inferior ao registrado em igual intervalo de 2016, de acordo com a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).

Levando em conta apenas o funding do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), foi vista alta de 0,2% no primeiro semestre ante um ano antes, para R$ 31,1 bilhões. Somados, os dois segmentos encolheram 3,7%, totalizando R$ 51,7 bilhões em relação aos R$ 53,6 bilhões registrados de janeiro a junho do exercício passado.

Foram financiadas, com recursos das cadernetas de poupança, 82,5 unidades entre aquisições e construções no período, recuo de 17,9% em relação à primeira metade de 2016, quando 100,5 mil imóveis foram financiados.

Apenas em junho, conforme a Abecip, o montante de financiamento imobiliário alcançou R$ 3,8 bilhões, alta de 6,5% em relação a maio, mas retração de 11,1% no período de um ano. A quantidade de imóveis financiados no mês passado subiu 5,7% e recuou 22%, nas mesmas bases de comparações, para 15,4 mil unidades.

“O primeiro semestre foi ruim. Esperamos decrescimento menor ou ao menos empate com o ano passado e isso não aconteceu, mas o patamar de empréstimos continuou interessante”, disse o presidente da Abecip, Gilberto Abreu, em coletiva de imprensa, nesta manhã, lembrando que as empresas estão em um ritmo menor de construção de novos empreendimentos após um ciclo de elevados estoques.

Diante desse desempenho, a Abecip resolveu revisar para baixo a projeção esperada para este ano. De alta de 5%, considerando empréstimos com recursos das cadernetas, para queda de 3,5%, com um total de R$ 45 bilhões.

Já as linhas que usam funding do FGTS devem crescer 4,1%, contra projeção anterior de declínio de 1,5%, para R$ 72 bilhões. Juntos, os dois segmentos devem ter alta de 1,0% em 2017 ante o ano anterior, totalizando R$ 117 bilhões, conforme as projeções da Abecip.

“Não estamos vendo ainda ciclo de crescimento na economia, mas estamos saindo do vale, do pior momento. A expectativa de melhora no primeiro semestre não aconteceu, mas há sinais de inflexão de que vamos voltar a crescer com novas bases”, destacou Abreu.

(Aline Bronzati – aline.bronzati@estadao.com)

Fonte: Broadcast

Fique por dentro do Mercado Imobiliário! Receba conteúdos gratuitamente.

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.