Cyrela prepara nova safra de R$ 700 milhões em imóveis de grife, com cinco lançamentos até o fim de 2018

São Paulo, 06/09/2017 – A Cyrela Brazil Realty iniciará uma nova safra de prédios de luxo após atingir níveis satisfatórios de vendas em seus três projetos anteriores. Até o fim de 2018, a companhia planeja lançar cinco empreendimentos de arquitetura inovadora, acabamentos de alto padrão e localização nobre. Serão três em São Paulo, um em Porto Alegre e um no Rio de Janeiro, com valor geral de vendas total próximo de R$ 700 milhões, com base nos dados de tamanho e preço médio do metro quadrado dos imóveis (Veja a lista detalhada no fim da matéria).

“Nós queremos entregar projetos inesquecíveis, que se transformem em cartões postais das cidades. Não queremos o ‘déjà-vu’. Queremos o ‘jamais vu'”, afirma o copresidente da Cyrela, Efraim Horn. “Buscamos as novidades nos campos da arquitetura, da funcionalidade e do estilo de vida”, complementa Efraim, que divide a presidência com o irmão Raphael, ambos filhos do fundador, Elie Horn.

O primeiro lançamento da nova série ocorrerá até novembro, no Itaim, em São Paulo. Batizado de Float, terá fachada repleta de vidro e pouca alvenaria, expandindo a vista para dar a sensação de uma residência flutuante. Outro projeto ficará na Barra da Tijuca, Rio, com vista para o campo de golfe olímpico, a reserva florestal e o mar. O valor dos apartamentos dessa nova safra começa em R$ 800 mil, para unidades de um dormitório, e vai até cerca de R$ 5 milhões.

Os novos edifícios darão continuidade às parcerias da Cyrela com o escritório britânico Yoo Studio e o italiano Pininfarina, que são referências globais em design e assinaram três projetos arquitetônicos da incorporadora desde 2015. A encomenda de cada projeto sai na faixa de US$ 5 milhões a US$ 10 milhões. “Já a obra custa o dobro”, aponta Efraim, referindo-se à necessidade de buscar soluções de engenharia customizadas e insumos específicos.

 

Estratégia comercial

Por trás da filosofia de trabalhar com imóveis de grife, a Cyrela tem uma estratégia comercial que mira consumidores de altíssima renda, pouco suscetíveis aos efeitos da prolongada crise econômica nacional. Além disso, desbrava o mercado de edifícios icônicos, um mercado pouco explorado e que atrai amantes da arquitetura.

“O público que compra esses imóveis conhece as ofertas de apartamentos de alto padrão disponíveis no mercado, conhece os edifícios icônicos de outros países, e reconhece que não vai encontrar outros projetos como os nossos por aqui”, explica Efraim. “É comprar na planta ou ter a sorte no futuro de conseguir uma revenda, pois são poucas novidades”, diz.

O executivo acrescenta que o mercado quase não tem concorrência nesse nicho porque faltam terrenos nos bairros mais visados pelos consumidores de altíssima renda, como os paulistanos Jardins, Higienópolis, Itaim e Moema, por exemplo.

Nos últimos 12 anos, a Cyrela colocou no mercado três prédios de grife, todos nos arredores da Av. Brigadeiro Faria Lima. O primeiro foi o Pininfarina, em setembro de 2015, com fachada repleta de curvas e plantas, com 50 m2 e valor médio de R$ 1,5 milhão. O empreendimento já vendeu 64 das 92 unidades (70% do total). Em agosto de 2016, veio o One Sixty, com apartamentos de R$ 8 milhões, sendo 18 de 55 (33%) já vendidos. Em fevereiro deste ano foi a vez do Heritage, com 31 apartamentos e valores em torno de R$ 15,4 milhões cada, dos quais 9 já comercializados (29%). “É um nível de vendas que superou as nossas expectativas”, conta Efraim.

O executivo diz que a companhia tem apetite para seguir desbravando o mercado de imóveis de grife. Hoje, a incorporadora inaugura uma loja conceito no shopping Iguatemi JK. O espaço funcionará como um local de eventos, degustação de bebidas e exposição de mobílias, eletrônicos, esculturas e peças diversas com design sofisticado, ao lado de maquetes dos prédios recém-lançados. Quem visitar o local encontrará, por exemplo, uma Ferrari modelo F12 Berlinetta, desenhado pelo parceiro Pininfarina, além de um lustre francês que mescla cristais da Baccarat e couro estilizado pela Hermès.

No longo prazo, o desenvolvimento de mais imóveis diferenciados dependerá da disponibilidade de terrenos nas zonas nobres. “Esses terrenos especiais surgem na mesa de negociação de modo oportunístico. Não é um relógio com hora controlada”, pondera Efraim. (Circe Bonatellicirce.bonatelli@estadao.com)

Fonte: Broadcast

Fique por dentro do Mercado Imobiliário! Receba conteúdos gratuitamente.

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.