GAFISA retoma lançamentos com três novos projetos e VGV de R$ 300 MI

São Paulo, 11/08/2017 – Após passar em branco durante o primeiro semestre, a Gafisa voltou a lançar empreendimentos imobiliários. Desde julho, a incorporadora já colocou três novos projetos na rua, todos em São Paulo, totalizando um valor geral de vendas (VGV) estimado entre R$ 250 milhões e R$ 300 milhões, segundo antecipou ao Broadcast o diretor presidente, Sandro Gamba.

“No começo do ano, a estratégia da Gafisa foi priorizar a venda dos imóveis no estoque, organizar a estrutura de despesas da companhia e otimizar a geração de caixa para diminuir a dívida”, explicou Gamba. “Vamos continuar trabalhando dessa forma no segundo semestre. A diferença é que também estamos trabalhando com novos projetos”, completou.

O executivo avaliou que o mercado imobiliário tem um cenário mais favorável pela frente, em meio ao ciclo de redução da taxa básica de juros e a tendência de barateamento dos empréstimos bancários para a compra da casa própria. Entretanto, a postura da incorporadora ainda é de cautela, uma vez que o desemprego permanece elevado e restam dúvidas sobre o ritmo de recuperação da economia brasileira.

“Nós continuaremos trabalhando com novos projetos. Mas ainda não posso afirmar qual patamar de lançamentos vamos atingir neste ano”, ponderou, explicando que a empresa vai monitorar de perto o desempenho das vendas antes de iniciar os empreendimentos seguintes.

A Gafisa encerrou o segundo trimestre de 2017 com um prejuízo líquido consolidado de R$ 180,0 milhões. O resultado foi impactado por um conjunto de fatores, como maior nível de distratos, queda no faturamento, menor capacidade de diluição de custos e mais despesas com pagamento de dívidas.

Gamba ponderou, entretanto, que a venda de estoques tem mostrado uma liquidez crescente, o que ajudará a reforçar a geração de caixa e a redução da dívida nos próximos meses. Além disso, os empreendimentos mais novos são mais lucrativos e ajudarão a engordar o balanço à medida que as obras evoluírem.

Outro impacto sobre o balanço no trimestre foi a perda de R$ 35,8 milhões com a Alphaville Urbanismo, empresa de loteamentos residenciais onde a Gafisa detém 30% de participação. A Alphaville não lançou novos projetos em 2017 e em 2016, diminuindo as receitas e as diluição de custos fixos.

“É uma empresa relevante, tem marca forte, mas foi impactada pelo cenário econômico negativo do Brasil”, avaliou Gamba. “Os projetos estão sendo desenvolvidos. Quando a administração da Alphaville entender que há oportunidade, os lançamentos serão retomados. Ainda não dá para afirmar se isso acontecerá neste momento”, completou. (Circe Bonatellicirce.bonatelli@estadao.com)

Fonte: Broadcast

 

Fique por dentro do Mercado Imobiliário! Receba conteúdos gratuitamente.

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.