Quais são os gastos totais do inquilino no imóvel alugado?

Quais são os gastos totais do inquilino no imóvel alugado?

Alugar um imóvel requer uma previsão de custos, pois os gastos totais do inquilino não são pequenos. É uma decisão que, apesar de representar aquela tão sonhada liberdade, deve ser bem pensada. Afinal, são despesas que precisam ser consideradas, e estar preparado para elas é essencial.

Ao fechar um negócio de locação, você já tem aquele primeiro gasto que não é barato: a mudança. Tudo bem, é apenas uma vez, mas deve ser colocado no seu orçamento, pois junto a ele sempre vem muito mais. Você vai querer deixar a casa com sua cara e adquirir móveis, entre outros itens que serão necessários. Por isso, contar com isso é importante.

Contudo, as principais despesas são aquelas mensais, que se referem a contas como aluguel, luz, água, gás e muito mais. Neste artigo, você vai conhecer os gastos totais do inquilino com aluguel. Continue a leitura e confira!

O que é necessário avaliar antes de alugar um apartamento?

Uma decisão que envolve altos gastos precisa de uma boa análise, não é mesmo? Afinal, você vai se comprometer com o aluguel e com a taxa de condomínio, que pode ser quase o valor da locação, além de outras várias despesas.

Então, a primeira coisa a ser pensada é em relação à sua disponibilidade financeira, visto que o principal erro de muitas pessoas é buscar algo fora de sua realidade. O resultado, muitas vezes, é a inadimplência que traz uma série de aborrecimentos.

O ideal, portanto, é somar a sua renda com a de outros moradores da residência e, assim, poder escolher algo que se encaixe às suas necessidades e da família. Dessa forma, há como fazer uma previsão de gastos sem equívocos.

Na verdade, existe uma excelente dica para que seus anseios não ultrapassem a sua realidade financeira: os custos com o aluguel não devem ser maiores que 30% da renda líquida da família. Outra sugestão seria pesar nesse cálculo o valor do condomínio, que consome boa parte da renda.

Quais são os principais gastos do inquilino com o imóvel alugado?

Para quem decide alugar um imóvel, é muito importante saber com antecedência os gastos que essa decisão envolve. Por isso, resolvemos enumerar os mais comuns na maioria dos condomínios. Confira!

Valor do aluguel

É a principal despesa que o inquilino pagará mensalmente por utilizar o imóvel. Trata-se de uma quantia negociada e que consta no contrato. Sendo assim, todo mês, o valor referente deverá ser depositado na conta bancária, que pode se do locador ou da imobiliária, como estipulado na negociação.

Taxa condominial

Talvez essa taxa seja a maior causadora de muitos desistirem de alugar imóveis em condomínios. Isso porque, em alguns casos, os valores chegam bem perto do aluguel. Essa despesa envolve serviços do condomínio que geram custos altos, como áreas de lazer, que necessitam de manutenção constante.

Ao mesmo tempo, nessa taxa, estão incluídos os gastos com energia elétrica, água, e outras despesas condominiais que são divididas entre os moradores do local. A dica é ficar atento ao valor dela antes de fechar negócio.

Despesas de consumo

Essas são contas que também podem ser muito altas. Elas envolvem aquele consumo essencial para vivermos, como água, gás e luz. Vale ressaltar que a água, em alguns casos, está incluída na taxa de condomínio. Porém, hoje, muitos deles estão optando pelo hidrômetro individual. Confira as despesas mais importantes:

  • luz;
  • água e esgoto;
  • gás;
  • internet;
  • TV a cabo, entre outras.

Taxa de IPTU

Apesar de ser um compromisso do proprietário, já é de praxe que o inquilino pague a conta enquanto estiver utilizando o imóvel, devendo constar no contrato de locação. O Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) é cobrado anualmente, e o locatário deve ficar atento, pois em alguns casos o valor é bem alto.

O pagamento do IPTU pode ser em parcela única, o que beneficia o pagador com um bom desconto, ou em parcelas, que possibilita quitar a conta em até 12 vezes. A dica é se informar acerca do último valor pago.

Seguro contra incêndio

Da mesma forma que ocorre com o IPTU, a Lei do Inquilinato prevê que — se estiver no contrato — é de responsabilidade do inquilino pagar a taxa do seguro contra incêndio. Ou seja, o proprietário tem o direito de exigir essa condição durante a negociação.

Fundos de reserva

O que gera muitas dúvidas nos contratos de locação tem a ver com os fundos de reserva do condomínio. Afinal, quem paga a conta? De acordo com a Lei Do Inquilinato, os responsáveis pelos pagamentos das despesas extraordinárias são os proprietários.

Aos locatários, cabe a responsabilidade pelas contas ordinárias, ou seja, aquelas contraídas durante a vigência do contrato de aluguel. Entre elas, gás, luz, condomínio, e outras, conforme descrito acima.

Os donos dos imóveis, por sua vez, devem se responsabilizar pelas despesas em casos de melhorias e ampliação. Isso porque serão benfeitorias, denominadas permanentes, que agregam valor de mercado ao bem.

Despesas de final de contrato

De acordo com a Lei do Inquilinato — e mesmo que em alguns parágrafos haja exceções — todos os danos que o imóvel sofre após a vistoria de encerramento são de total responsabilidade do locador. Isso inclui toda e qualquer avaria, mesmo indiretamente, como aquelas causadas por ações do tempo.

Por mais que o locatário tenha feito tudo direitinho, ainda assim, sempre há algo com o que gastar ao desocupar um imóvel. Ele vai ter que entregar como descrito no laudo de vistoria de entrada. Os gastos vão ter a ver com o desgaste e os reparos que ele terá que fazer.

Dessa forma, ao entregar as chaves, ele deverá cuidar para devolver o imóvel exatamente como recebeu. Confira alguns dos principais danos que, se ocorrerem, devem ser reparados:

  • torneiras pingando;
  • lâmpada queimada;
  • pinturas não refeitas;
  • janelas ou vidros quebrados;
  • telhas com problemas, entre outros.

Como você conferiu neste conteúdo, os gastos totais do inquilino com um imóvel alugado devem ser considerados e muito bem analisados. Trata-se de uma decisão importante, que envolve despesas significativas. Mantê-las sob controle é essencial para uma vida tranquila.

Gostou deste post? Então, continue conosco e leia outro artigo muito importante sobre os direitos e deveres dos inquilinos: a Lei do Inquilinato!

Fique por dentro do Mercado Imobiliário! Receba conteúdos gratuitamente.

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.