Preço médio dos imóveis residenciais sobe 0,14% em abril, mostra pesquisa

Incorporadoras devem conter prejuízos e ampliar lucros nos balanços do segundo trimestre

São Paulo, 03/08/2018 – A temporada de divulgação dos balanços das empresas de construção e incorporação imobiliária, que começa na próxima semana, deve mostrar uma recuperação do resultado líquido, refletindo evolução nos lançamentos e nas vendas, de acordo com analistas consultados pelo Prévias Broadcast.

Os destaques positivos devem ficar por conta de MRV e Tenda, que atuam no pujante mercado de moradias econômicas, inseridas no Minha Casa Minha Vida (MCMV). O segmento vem sendo marcado por expansão dos lançamentos e das vendas, bem como ampliação das receitas, ganhos de escala e de margens, elevando o lucro líquido. Já a Direcional deve chegar ao ponto de inflexão no seu balanço, reduzindo o prejuízo para perto de zero. A companhia vem crescendo no MCMV, o que tende a reforçar a geração de caixa, mas ainda carrega empreendimentos do segmento de média e alta renda, onde as vendas estão mais lentas.

Por sua vez, as incorporadoras que desenvolvem empreendimentos para consumidores de média e alta renda voltaram a expandir os lançamentos pouco a pouco, impulsionando as vendas nos estandes, após suas operações terem diminuído de tamanho nos últimos anos. Com isso, Cyrela deve voltar a ter lucro, enquanto Gafisa e Even devem reduzir o prejuízo. Já a Eztec deve ser o destaque negativo do segmento, mostrando queda na receita e no resultado líquido, uma vez que seus lançamentos ainda não deslancharam.

“A temporada de resultados do segundo trimestre provavelmente terá poucas surpresas. As empresas de baixa renda devem continuar superando aquelas que atuam no médio e no alto padrão”, pontuaram os analistas Gustavo Cambaúva e Elvis Credendio, em relatório do BTG Pactual. Eles lembraram que o MCMV continua oferecendo condições atrativas para as vendas. Já no médio e alto padrão, os negócios ainda seguem vagarosos devido às taxas de juros altas e à baixa confiança dos consumidores em um País com desemprego elevado. Na visão dos analistas do BTG Pactual, os destaques positivos da temporada devem ficar por conta de MRV, com expansão do lucro, seguida por Direcional e Cyrela, que têm mostrado recuperação operacional e crescimento da geração de caixa.

Os analistas Luis Stacchini e Vanessa Quiroga, do Credit Suisse, calcularam que as empresas do setor de baixa renda (MRV, Tenda e Direcional) devem ampliar o resultado líquido conjunto em 16%, e a geração de caixa, em 43%, na comparação entre o segundo trimestre e o primeiro trimestre. “Esperamos que os resultados da Tenda melhorem significativamente após o forte desempenho operacional e o maior reconhecimento de receita. Os resultados da Direcional também podem surpreender no lado da geração de caixa, e as receitas devem continuar a ganhar força. Por fim, o balanço da MRV provavelmente se beneficiará de maior atividade de construção”, apontaram. Para a equipe do Credit Suisse, as top picks (ações preferidas para a temporada) são Direcional e Cyrela.

Os analistas Luiz Mauricio Garcia e Victor Tapia, do Bradesco BBI, chamam atenção para o fato de que incorporadoras de média e alta renda estão apresentando melhorias nos números operacionais, reflexo das fortes vendas dos empreendimentos recém-lançados, em paralelo à redução do estoques. Na visão da dupla, as top picks do setor são a Tenda e a Cyrela. “Esperamos que a Tenda apresente um balanço forte, e que a Cyrela mostre uma recuperação consistente”, descrevem, em relatório do banco. (Circe Bonatelli – circe.bonatelli@estadao.com)

Fique por dentro do Mercado Imobiliário! Receba conteúdos gratuitamente.

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.