Eztec planeja crescer até 25% em 2020 e bater recorde de lançamentos

Mercado imobiliário de São Paulo registra alta de 27% nas vendas em 2018

São Paulo, 20/02/2019 – A venda de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo atingiu 29,9 mil unidades em 2018, indicando um salto de 27% em relação a 2017. O resultado também supera a média histórica de 27,6 mil unidades. Segundo pesquisa divulgada pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), no ano passado foram lançadas 32.762 unidades novas, indicando leve acréscimo de 4,4% frente a 2017. O desempenho, além de superior ao registrado nos anos de 2015 e 2016, também ficou acima da média histórica de 30 mil unidades.

Em 2018, 65% das unidades lançadas foram de 2 dormitórios, 62% possuíam área útil menor do que 45 m² e 51% tinham preço total de até R$ 240 mil. As características que predominaram foram, principalmente, de imóveis econômicos enquadrados no programa Minha Casa Minha Vida. Em valor global vendido (VGV) foi registrado acréscimo de 11% em 2018, totalizando R$ 16,7 bilhões. O avanço nas vendas e nos lançamentos superou a projeção divulgada pela instituição para 2018, que apontava para um crescimento no ano entre 10% a 17% nas vendas e de queda entre 8% e 10% nos lançamentos.

 

“Apesar do bom desempenho do mercado imobiliário em 2018, grande parte dos empreendimentos lançados e comercializados na cidade de São Paulo foi aprovada dentro das regras da Lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo anterior a 2014. Ainda são preocupantes as restrições da nova Lei de Zoneamento, que precisa passar por um rápido processo de calibragem em itens específicos, para que seja possível consolidar o mercado na cidade de São Paulo. Os empreendedores aguardam os ajustes necessários para voltar a lançar novos produtos”, ressalva o sindicato.

 

Para 2019, os lançamentos e as vendas de imóveis residenciais na cidade de São Paulo devem manter uma estabilidade frente aos resultados de 2018, segundo projeções do Secovi-SP. Já em valores, estima-se um crescimento em torno de 10% no chamado valor global de vendas (VGV), devido à recuperação dos projetos de médio-alto e alto padrão.

 

Os níveis de estoque ao fim de 2018 não preocupam os empresários e estão dentro de níveis aceitáveis, apontou o vice-presidente do Secovi-SP, Emilio Kallas. “Hoje temos estoques de 22 mil unidades. Estoques todas as redes têm de ter. Isso dá menos de um ano de procura”, afirmou. O estoque de imóveis novos na cidade de São Paulo ao fim de 2018, considerando os que estão na planta, em construção e prontos, atingiu 22,3 mil unidades residenciais. O montante representa alta de 1,3% ante as 22,0 mil unidades ao fim de 2017. (Fabiana Holtz e Cristian Favaro)

Fique por dentro do Mercado Imobiliário! Receba conteúdos gratuitamente.

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

1 Comentário

  1. Ótimo artigo sobre o mercado Imobiliário, tirou todas as minhas dúvidas. Muito Obrigado 🙂

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.