Reformar ou vender o imóvel

Reformar ou vender o imóvel? Descubra qual a sua melhor opção!

DSG

É muito comum surgirem dúvidas entre reformar ou vender o imóvel. Seja pela chegada de um novo membro na família, por causa de um novo bichinho de estimação ou diversos outros motivos, o impasse é sempre o mesmo.

Assim, antes de tomar esse tipo de decisão, algumas questões como restrição do espaço, localização e custo da operação devem ser colocados na balança. E, para isso, o primeiro passo é observar a situação objetivamente, já que se trata de um bem durável.

Neste post, vamos ajudar você a analisar os pontos mais importantes antes de se decidir sobre uma possível reforma ou a venda do seu imóvel. Continue lendo e veja o que considerar para escolher o melhor caminho!

O que considerar na decisão de reformar ou vender o imóvel?

A venda ou a reforma de um imóvel depende de alguns fatores que devem ser analisados com cautela e praticidade, para evitar prejuízos ou arrependimentos no futuro.

Sabemos que a maioria das pessoas faz concessões em suas vidas e se esforça para investir no imóvel dos sonhos. Afinal, é a aquisição para a qual, em diversos casos, a família levou muitos anos da vida para juntar o valor necessário.

O imóvel residencial é, acima de tudo, a moradia, o lar, o porto seguro, onde todos da casa se refugiam e se sentem acolhidos. Então, para a maioria das pessoas, o valor sentimental do imóvel tem um peso muito grande nas decisões.

A venda pode ser mais fácil e possibilitar a troca por outro imóvel que seja ideal para você e sua família. Por outro lado, a reforma pode deixar o imóvel exatamente como você sempre sonhou.

Na hora de renovar e valorizar esse bem, a dúvida entre a reforma ou a venda se torna um dos principais obstáculos. Por isso, trouxemos alguns critérios importantes a serem analisados, para ajudar você a definir se a melhor solução é reformar ou vender seu imóvel.

Orçamento familiar

No geral, as famílias têm apenas um imóvel e, por isso, é preciso considerar o orçamento para saber o impacto que as despesas com a reforma terão nas finanças. Sendo assim, é fundamental fazer um orçamento, tanto da reforma quanto da aquisição de um novo imóvel para poder compará-los.

A análise do custo-benefício é condição básica e requer detalhamento, para que a comparação seja adequada. Saiba, por exemplo, qual a porcentagem de representação de uma reforma para entender se vale mesmo a pena seguir com essa opção.

Caso o orçamento esteja acima de 50% do valor do imóvel, talvez seja melhor considerar fazer cerca de 20% da reforma e colocar a propriedade à venda. Entretanto, para orçamentos entre 30% e 50%, a reforma completa é uma boa opção para, só depois, decidir-se pela venda.

Contudo, se o valor total da reforma proposta não alcançar a marca de 30%, o melhor é autorizar os reparos e permanecer com o imóvel. Nesse caso, os valores devem compor o orçamento da família, pois retornam na forma do imóvel, e não em dinheiro de volta na conta.

Qualidade de vida

Um bom imóvel é aquele que oferece espaço e conforto. Por isso, o tamanho do imóvel é uma outra questão que deve ser levada em consideração — afinal de contas, o espaço é o que molda a estrutura de convivência da família.

Para famílias que ainda estão em construção, é essencial considerar os planos para a quantidade de filhos e chegada de animais de estimação. Logo, fazer a reforma em um imóvel que não comportará o número adequado de pessoas pode não ser uma boa ideia.

Além das dependências internas, não deixe de lado a parte externa, pois, crianças precisam de espaço onde possam ter um mínimo de lazer — seja o quintal de uma casa ou a área de entretenimento do condomínio.

Valorização do imóvel

Se os seus planos são de venda, seja no presente, seja no futuro, será que a reforma potencializará a valorização do imóvel? Essa análise faz a total diferença para quem deseja vender o bem e fazer outro investimento imobiliário.

Pode ser que, além de perder tempo e dinheiro com a reforma, as melhorias não sejam significativas o suficiente para aumentar o valor da venda. Então, o comparativo de preços é primordial para ajudar você a enxergar com maior clareza.

Com a decisão de venda, deixe de lado as reformas, priorizando os reparos — sobretudo, aqueles que podem trazer um maior impacto para o novo morador. Deixe que o comprador decida se deve ou não fazer mudanças no imóvel.

Proximidade com locais estratégicos

As facilidades de ter, por perto, escolas, farmácias, supermercados, padarias, hospitais e acesso a transporte público, valorizam bem um imóvel. Esses são alguns pontos que favorecem na hora da compra e, sobretudo, na hora da venda.

Zahle

Se o seu imóvel está próximo de locais estratégicos, tanto a reforma, quanto a venda podem ser boas alternativas, considerando o mercado imobiliário do momento e o potencial de valorização do imóvel, em médio e longo prazo.

Afinal, as facilidades, oportunidades e boas alternativas comerciais de um bairro contam muito na precificação de um imóvel. Você pode aproveitar os diferenciais para planejar melhor a reforma ou, até mesmo, usá-las como argumento na negociação de venda.

Preferências arquitetônicas

Na época em que você comprou o imóvel, talvez ele não tivesse o aspecto arquitetônico desejado. Mas, agora, com a reforma, pode ser uma excelente oportunidade de se tornar como o imaginado.

Novamente, o custo-benefício deve ser o principal alvo de observação. Se, para deixar seu imóvel com a imagem que você sempre desejou, o investimento na reforma for mais interessante do que vender e comprar outro, opte pela reforma.

É importante lembrar que os imóveis antigos exigem mais atenção, em função da idade das edificações e materiais utilizados, que talvez não sejam mais encontrados no mercado. Assim, é importante observar esse contexto para não fugir muito da ideia original do projeto.

O que fazer, independentemente da decisão?

Tanto a repaginação, quanto a venda do imóvel acarretará em mudanças e algum tipo de transtorno. Dessa forma, é preciso que todos da casa estejam preparados para isso, e considerem fatores importantes diante de uma nova realidade. Veja alguns, a seguir.

Planeje suas finanças

Na reforma, por exemplo, talvez seja impossível se manter no ambiente por conta da poeira ou entulhos. Esse é uma questão que obriga muitas famílias a alugarem outro espaço para morarem, até que as obras estejam concluídas.

Da mesma forma, caso o imóvel seja vendido rapidamente, o prazo acordado entre vendedor e comprador para a desocupação pode não ser suficiente para definir a nova moradia.

Esses pontos levam a questões relacionadas às finanças, ou seja, é crucial planejar detalhadamente esse tipo de gastos para evitar surpresas desagradáveis. Considere, inclusive, que a obra pode levar mais tempo do que o inicialmente planejado.

Não importa se você vai reformar ou vender o imóvel: sempre haverá despesas não previstas. Portanto, pense em manter uma reserva financeira de segurança — não deixe para pensar nisso de última hora.

Faça cotação de preços

Os preços variam e muito, quando o assunto é material de construção ou transações imobiliárias. O mercado é bastante competitivo e oscilante, por isso, as cotações são etapas fundamentais que não podem ser negligenciadas.

Então, enumere cada um dos itens relevantes para a reforma e dedique um tempo para as cotações — no mínimo três, comparando marca, preço e condições de pagamento.

No valor final, você perceberá uma diferença expressiva. Se a sua decisão for de vender seu imóvel, não deixe de avaliar também os pontos de maior valorização, considerando a localização, as melhorias e os locais estratégicos, para entender o quanto vale o seu bem.

Busque referências na internet

Conhecer bem o mercado de venda imobiliária e os detalhes de uma reforma será importante para você tomar decisões seguras. Na internet, você pode encontrar um grande volume de informações sobre o assunto. Pesquise e escolha fontes confiáveis, em sites de empresas que sejam autoridades no assunto e tenham conteúdo relevante.

A importância está nas orientações e dicas sobre as possibilidades de se fazer um bom negócio, em relação ao seu imóvel. Não se esqueça de que, caso a venda do seu bem seja em função do tamanho, espaço e conforto, você terá que complementar o valor para a aquisição de um imóvel maior e mais espaçoso.

A pesquisa, o conhecimento e a análise prévia podem ajudar no provisionamento dessa quantia. Caso a sua opção seja pelo financiamento, conhecer as taxas aplicadas e as condições de pagamento é imprescindível.

Dessa forma, estar bem informado vai possibilitar que você entre em qualquer negociação e a conduza, com maior propriedade e segurança. Em todos os aspectos, a conclusão deve ser satisfatória para todos os envolvidos.

Você percebeu que a sua dúvida entre reformar ou vender o imóvel será mais fácil de ser sanada com a obtenção de informações? Afinal, quanto mais você conhecer desse ramo, melhor será para avaliar os preços, as condições e as oportunidades existentes.

Você gostou do nosso post? Então, aproveite a visita em nosso blog e veja mais um conteúdo muito interessante, dessa vez, com dicas para se inspirar na decoração de um apartamento de praia!

D'oru

Fique por dentro do Mercado Imobiliário! Receba conteúdos gratuitamente.

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.