Região da Faria Lima lidera locações imobiliárias comerciais no segundo trimestre

Região da Faria Lima lidera locações imobiliárias comerciais no segundo trimestre

São Paulo, 24/07/2018 – A região da Faria Lima, na capital paulista, foi a que apresentou a maior quantidade de m² locados no mercado imobiliário de escritórios de alto padrão no segundo trimestre de 2018, aponta dados medidos trimestralmente pela Colliers International Brasil. A absorção bruta da região se aproximou de 12,3 mil m² entre os meses de abril, maio e junho.

A pesquisa realizada pela Colliers abrange as regiões Barra Funda, Berrini, Chácara Santo Antônio, Chucri Zaidan, Faria Lima, Itaim Bibi, Juscelino Kubistschek (JK), Marginal Pinheiros, Paulista, Pinheiros, Santo Amaro e Vila Olímpia.

Em relação à absorção líquida, a região também lidera as estatísticas. O saldo foi de 9,25 mil m² na Faria Lima, seguido pela JK com 4 mil m² e pela Berrini que apresentou 3,48 mil m² de absorção líquida neste segundo trimestre de 2018.

O preço pedido apresentou leve queda passando de R$ 86 m²/mês no primeiro trimestre para R$ 84 m²/mês entre abril e junho. As regiões Faria Lima (R$ 134 m²/mês), Vila Olímpia (R$ 116 m²/mês), JK (R$ 114 m²/mês) e Itaim Bibi (R$ 110,00 m²/mês) detêm os valores mais altos da cidade. Já os preços mais acessíveis estão na Marginal Pinheiros (R$ 55 m²/mês), Santo Amaro (R$ 55 m²/mês) e na Chácara Santo Antônio (R$ 66 m²/mês).

A taxa de vacância nos escritórios paulistanos de alto padrão não apresentou variação em relação aos dois últimos trimestres e permaneceu estável em 21%, aponta o levantamento. As taxas mais baixas estão no Itaim Bibi (3%), JK (7%) e na Paulista (8%). Já os maiores índices são encontrados em Chácara Santo Antônio (59%), Santo Amaro (58%) e Marginal Pinheiros (30%).

Classe B – Nos imóveis de classe B da cidade de São Paulo, a taxa de vacância também segue estável em relação ao primeiro trimestre de 2018. O índice continua em 22% na medição dos meses de abril, maio e junho. Já a absorção líquida no segundo trimestre foi de 21,2 mil m², número 68,9% superior ao registrado no primeiro trimestre, 12,5 mil m². Em relação aos preços médios pedidos de locação, o valor fechou o período em R$ 73 m²/mês, praticamente estável em relação aos meses de janeiro, fevereiro e março de 2018, quando o preço registrado foi R$ 72 m²/mês. (Beth Moreira – beth.moreira@estadao.com)

Fique por dentro do Mercado Imobiliário! Receba conteúdos gratuitamente.

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.