Brasil pode ver contas no azul só em 2033

Startup de compra de imóveis, Loft vira “unicórnio”

São Paulo, 03/01/2020 – O ano mal começou e o Brasil já tem o primeiro unicórnio da safra 2020. Após uma rodada de US$ 175 milhões liderada pelos fundos americanos Vulcan Capital e Andreesen Horowitz, a startup de compra, reforma e venda de imóveis Loft está avaliada em mais de US$ 1 bilhão, segundo apurou o Estado. Isso faz da empresa o 11º unicórnio brasileiro.

A empresa teve ascensão veloz: foi fundada em agosto de 2018 pelo alemão Florian Hagenbuch, 32 anos, e pelo húngaro Mate Pencz, 33. A dupla já vinha de uma outra startup de sucesso, a gráfica online Printi, que tinha faturamento de R$ 100 milhões por ano e foi vendida em 2017.

A Loft usa inteligência artificial para oferecer propostas de compra para apartamentos usados em vizinhanças específicas. Depois de compradas, as residências são reformadas por empreiteiros parceiros e revendidas. Em 2019, a empresa comprou e vendeu mais de mil apartamentos em São Paulo.

A companhia anunciou ontem, 03, a nova rodada de investimentos, a terceira de sua história – participaram também QED Investors, Fifth Wall Ventures, Thrive Capital, Valor Capital e Monashees. No total, a startup já levantou US$ 275 milhões em rodadas de investimento, além de já ter captado R$ 326 milhões em dois fundos imobiliários.

Expansão
“Vamos usar o dinheiro para expansão geográfica e de produtos”, disse ao Estado Mate Pencz, cofundador da empresa. No primeiro semestre, o foco deve acontecer em duas cidades: Rio de Janeiro e Cidade do México. No final de 2019, a Loft já passou a comprar seus primeiros imóveis no bairro do Leblon e a intenção agora é acelerar a atuação na cidade. Durante o ano, a empresa planeja chegar a Ipanema e a outros bairros da zona sul carioca.

Já a expansão mexicana se encontra em estágio embrionário. Para chefiar a operação por lá, a Loft contratou Juan Pablo Ramos, ex-diretor de expansão regional do Uber Eats na América Latina. A ideia é ter a operação funcionando durante o segundo trimestre deste ano. “São Paulo foi um laboratório e conseguimos provar que a nossa fórmula pode funcionar em diferentes cidades”, explica Pencz. Em São Paulo, a Loft está em 18 bairros.

“A Loft tem apresentado forte crescimento e a oportunidade de mercado que se apresenta é enorme. Acredito que essa combinação de fatores foi determinante para o investimento”, diz Felipe Matos, autor do livro 10 Mil Startups.

Estreia
Com o aporte, a Vulcan Capital faz seu primeiro investimento em uma startup brasileira – a firma foi criada em 1997 por Paul Allen, cofundador da Microsoft morto em 2018. A situação é a mesma do Andreesen Horowitz, que investiu em Facebook e Twitter antes de abrirem capital. “A Vulcan vai poder nos acompanhar até chegarmos à Bolsa, o que ainda não é um plano”, diz Pencz. (por Bruno Romani, do jornal O Estado de S. Paulo)

Fique por dentro do Mercado Imobiliário! Receba conteúdos gratuitamente.

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.