Credito imobiliário

Fique por dentro das principais taxas ao comprar um imóvel

Comprar a casa própria é um momento especial na vida de qualquer pessoa e, por isso, requer muita atenção. Tudo deve ser muito bem pensado e planejado, assim como todos os custos devem ser considerados, para que nada fuja do nosso controle.

Dito isso, é essencial que se tenha em mente que os gastos com esse investimento não se limitam à entrada e ao financiamento — existem também taxas e impostos ao comprar um imóvel. Ou seja, devemos nos preparar financeiramente para esses valores, muitas vezes, não previstos e que podem desestabilizar nossas reservas.

Neste post, você vai conhecer quais são as taxas ao comprar um imóvel e alguns outros custos que envolvem essa negociação. Continue a leitura e confira!

Principais taxas ao comprar um imóvel

Taxa de corretagem

A intermediação da imobiliária e do corretor é essencial para a segurança de qualquer negócio de compra e venda de imóvel — tanto para o comprador quanto para quem vende. Diante disso, recomenda-se não dispensar esse serviço. Quanto ao valor cobrado referente à corretagem, depende de cada conselho regional de corretores de imóveis. Em média, esse serviço fica entre 6% e 8% do valor total do imóvel.

Vale ressaltar que quem requisita o serviço será o responsável pelo pagamento. Em geral, o vendedor é o mais interessado em fechar logo o negócio. No entanto, existem casos em que os serviços são solicitados pelo comprador — aí, será ele quem deverá se responsabilizar pelos custos.

ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis)

Trata-se de um tributo municipal, que pode variar de acordo com o município. Ocorre mediante uma transferência de propriedade — no caso, uma compra. Sendo assim, a oficialização dessa negociação de compra e venda só será executada após seu acerto. Ou seja, o imóvel só será transferido para o novo proprietário após o pagamento desse tributo.

O ITBI é, geralmente, custeado pelo comprador. Entretanto, as duas partes podem entrar em acordo e negociar. A dica é consultar a legislação da cidade onde o imóvel está localizado.

Taxa de cessão de contrato

No caso da compra de imóvel direto com a construtora, o comprador deve ficar atento quanto à taxa de cessão de contrato. Ocorre no caso do proprietário de direito de compra do imóvel em construção decidir vender a propriedade para outra pessoa. Para isso, além de ter que passar pela aprovação da construtora, o proprietário deverá pagar uma taxa de 5% do bem para a transferência de titularidade.

Registro de Imóvel

Este ato se refere à identificação do comprador como novo proprietário do imóvel. Orienta-se que o novo proprietário fique atento, para que tudo relacionado ao valor dessa taxa esteja em conformidade legal de compra e venda da propriedade. Da mesma forma que ocorre com a escritura do imóvel, o registro gera um custo que pode variar de acordo com a cidade onde o imóvel se situa.

Escritura Pública

Trata-se de uma despesa obrigatória para o novo proprietário do imóvel. A escritura do imóvel é o documento que comprova a realização do negócio, de acordo com termos acertados entre comprador e vendedor.

Convém observar que esse documento não é necessário em casos de compra que envolve financiamento. Entretanto, nos demais, o documento é lavrado junto a um tabelionato de notas, tendo uma variação de custo de acordo com a cidade onde se encontra a propriedade.

Taxas cartoriais

As taxas cartoriais se referem aos vários documentos que serão emitidos no cartório. A escritura é um deles, sua importância reside em estabelecer o direito de propriedade. Assim, para que seja de conhecimento público e sirva de prova, é necessário que seja registrado no Cartório de Registro de Imóveis.

Esses dois documentos — escritura e registro — geram custos cartoriais. Porém, dependendo do tipo de negociação, outros documentos podem ser necessários, gerando, obviamente, mais custos com o cartório. A Certidão Negativa de Ônus Reais é exemplo disso — ela atesta que determinado imóvel está livre para negociação.

Taxa de interveniência

É uma taxa cobrada do comprador, caso ele não faça o financiamento, após a entrega das chaves, com o banco indicado pela incorporadora. Essa taxa pode chegar a 2% sobre o valor do imóvel — cuja alegação é romper com a venda casada que, diga-se de passagem, é proibida de acordo com o Código do Consumidor (art.39).

Taxa cobrada durante a obra

No caso da compra de um imóvel na planta, é comum que a construtora cobre um valor referente aos gastos com o material. Geralmente, os custos ficam em torno de 2% sobre o valor do imóvel. No entanto, essa quantia, normalmente, é diluída nas prestações.

Taxas bancárias

Quem se dispõe a comprar um imóvel precisa se informar sobre as taxas bancárias que ele, certamente, terá que pagar, caso entre em um financiamento bancário. Isso, evitará surpresas desagradáveis.

Quando se financia um imóvel, é normal que o banco acrescente taxas de juros sobre o valor total. O valor dos juros varia de acordo com o banco. É importante destacar que, dependendo do número de parcelas, o preço pode ser bem alto. O ideal é que o comprador junte recursos para dar uma boa entrada e divida o restante.

Custos de vistoria

Os custos de engenharia ou de vistoria, como são mais conhecidos, fazem parte dos gastos que todo comprador precisa ter. É, na verdade, uma avaliação contratada para verificação das condições gerais do imóvel, mais especificamente às relacionadas aos sistemas hidráulico e elétrico.

O valor da vistoria pode variar de acordo com a empresa contratada e das dimensões do imóvel que será avaliado. Trata-se de uma análise obrigatória para quem vai entrar em um financiamento imobiliário.

Custos com a mudança

Por fim, não poderíamos deixar de mencionar os custos com a mudança — que a maioria das pessoas tem que arcar. Na verdade, esse gasto pode variar bastante, dependendo de fatores, como a quantidade de itens a serem transportados. Vale fazer uma estimativa, por alto, para incluir esse gasto na sua planilha de custos.

Como você conferiu neste conteúdo, são muitas taxas ao comprar um imóvel. Por isso, contar com elas desde início, certamente, evitará surpresas no seu orçamento, bem como impedirá que você mexa na sua reserva.

Gostou deste post? Leia, então outro conteúdo bem interessante que fala sobre a taxa de condomínio!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

1 Comentário

  1. Quando agente começar a pagar e apessoa nao tei mais condições de pagar agente perde o que ja pagamos sem nunca ter nei morando

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.