Veja os 4 principais erros ao contratar um consórcio imobiliário

A maior parte das pessoas compartilham do mesmo sonho quando estamos falando de imóvel, que é adquirir o seu próprio. No entanto, comprar um imóvel requer um investimento bastante considerável de sua renda, o que pode levar até mesmo as economias realizadas durante praticamente a vida toda. Por isso o financiamento, empréstimo ou consórcio imobiliário são muito comuns no meio dessas pessoas.

E com o advento da crise financeira pela qual estamos passando, as taxas de juros em instituições financeiras que fazem financiamentos imobiliários estão cada vez maiores, o que torna o consórcio imobiliário uma alternativa interessante.

O consórcio imobiliário ainda é a alternativa menos procurada e conhecida entre as pessoas que desejam adquirir um imóvel e se trata de uma boa opção, principalmente para aqueles que não têm pressa de se mudar para o novo imóvel. Com isso, pela falta de conhecimento, muitos acabam cometendo erros na hora de escolher o consórcio em que entrarão.

No post de hoje, apresentaremos os erros mais comuns cometidos pelas pessoas ao contratar um consórcio imobiliário e falaremos também o que faz com que ele seja uma ótima opção e como ele funciona.

Interessado em saber mais sobre o assunto? Então, continue com a gente até o final!

O que é o consórcio imobiliário e por que ele é uma boa opção?

O consórcio imobiliário é como um consórcio automotivo, ou seja, é a união de um grupo de pessoas que estão interessadas em comprar um imóvelseja ele próprio, seja com fins de investimento – ou aquelas pessoas que desejam realizar reformas em suas casas que requerem altos valores para sua execução.

A cada mês que passa, um integrante do grupo de pessoas é contemplado por meio de uma carta de crédito, que pode ser utilizada para realizar a compra de um imóvel novo, usado, dar entrada em um financiamento ou até mesmo ser utilizada para as reformas que desejava.

O consórcio imobiliário acaba sendo uma ótima opção, pois não possui aqueles juros altíssimos que são cobrados pelos financiamentos. Com isso, comprar ou reformar um imóvel acaba ficando mais em conta.

Outra vantagem que o coloca na frente dos financiamentos é que ele é menos processual, ou seja, menos burocrático. A carta de crédito que o contemplado recebe é flexível, portanto, além de adquirir um imóvel, pode ser utilizada também para construção ou até mesmo reforma.

Existe também a possibilidade de se usar o FGTS para quitar o valor da carta de crédito, encerrando sua dívida com o grupo.

Como funciona o consórcio imobiliário?

O consórcio imobiliário trabalha por meio de cotas emitidas, que são adquiridas por pessoas que estão realmente interessadas na compra, construção ou reforma de um imóvel. O consórcio então é formado pelo grupo de pessoas que adquirem essas cotas.

Os integrantes do grupo realizam pagamentos mensais sem juros, de acordo com o valor da carta de crédito negociada. É contemplada nessa mensalidade a taxa de administração e também o fundo de reserva.

Os participantes do grupo participam de um sorteio mensal, podendo ser contemplados com a carta de crédito, e podem também dar lances com seu próprio dinheiro, com o intuito de facilitar a obtenção da carta de crédito ou até mesmo antecipar sua contemplação utilizando 25% dos recursos que estão em crédito.

Quais são os erros mais comuns no momento da escolha de um consórcio imobiliário?

É preciso ter bastante atenção para se prevenir de futuros problemas com o consórcio imobiliário escolhido. Agora, preparamos para você os erros que comumente são mais cometidos pelas pessoas que participam de um consórcio imobiliário.

1. Não levar em conta os reajustes

Uma das principais vantagens que um consórcio imobiliário possui é a inexistência das altíssimas taxas de juros que sempre estão presentes nos financiamentos imobiliários ou empréstimos cedidos por instituições financeiras.

Mas é preciso ter bastante atenção, pois isso não significa que o valor mensal pago pela pessoa não sofrerá reajustes. Os reajustes existem para que sua carta de crédito não perca o poder de compra no momento em que você for usá-la e são realizados de acordo com Índice Nacional de Custo de Construção. Logo, o valor das parcelas mensais também sofre alterações de acordo com esse índice.

É possível também que as taxas administrativas sofram ajustes devido a alguns fatores, para repor o fundo de reserva. Mas é válido lembrar que o peso desses ajustes ainda é menor que as taxas de juros cobradas por organizações financeiras.

2. Não participar das assembleias

Os participantes dos grupos de consórcios imobiliários precisam ter em mente que, além de manter os pagamentos em dia, também é preciso que compareçam nas assembleias, pois é nesses momentos que eles terão a oportunidade de saber como andam as transações financeiras do consórcio e, também, como estão as contemplações.

É nas assembleias que os participantes ficam sabendo de todas as suas responsabilidades perante o grupo, pois, em caso de divergências, bem como desvios de verbas, são cabíveis até mesmo multas do Banco Central.

3. Atrasar o pagamento das parcelas

Como já foi falado diversas vezes, uma das maiores vantagens de um consórcio imobiliário é a ausência de juros. Porém, essa vantagem pode ir por água abaixo caso você não pague suas mensalidades no prazo estipulado via contrato, pois atrasos estão sujeitos a multas e aumento da taxa de reserva, o que poderá impactar todos os cotistas.

Em alguns tipos de situações, como atrasos constantes e sequenciais, pode até mesmo acarretar a exclusão do cotista do grupo e retenção do dinheiro já investido até o final do consórcio.

4. Não escolher a carta de crédito correta

Tanto no final do consórcio como ao ser contemplado em sorteio, o cotista recebe sua carta de crédito de acordo com o valor estipulado e com os pagamentos mensais.

É por meio da carta de crédito que ele comprará, construirá ou reformará seu imóvel. Aqui existe um problema muito comum entre boa parte dos consorciados, que, às vezes, acabam optando por cartas de créditos que não suprirão suas necessidades. Portanto, é sempre bom analisar da forma mais precisa possível o valor que realmente precisa quando for retirar sua carta de crédito.

Gostou do nosso post? Agora que você já sabe como funciona um consórcio imobiliário e quais são seus benefícios, confira nossas dicas de planejamento para comprar um apartamento!

Fique por dentro do Mercado Imobiliário! Receba conteúdos gratuitamente.

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.