Investidores migram para fundos imobiliários por melhor rendimento

Veja quais são os gastos extras depois de comprar um apartamento novo

A compra de um imóvel é o sonho de muitos brasileiros e, muitas vezes, o resultado de vários anos de economia. No entanto, ficar atento aos gastos com o apartamento novo no pós-compra é muito importante para que não aconteçam surpresas no orçamento.

O que todos que compram um apartamento devem saber é que, além dos gastos com a compra à vista ou mesmo por financiamento, existem outras despesas com as quais o proprietário vai ter que arcar, como aquelas com impostos e documentação.

Além disso, não podemos esquecer os gastos com um reparo ou outro, com a mudança, com a decoração e com a mobília, entre outros. Esse momento requer cautela para que as coisas não saiam do controle.

Quer saber quais são as principais despesas extras na compra de um imóvel? Continue, então, com a leitura e confira!

ITBI

O ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis) é uma tarifa cobrada de quem adquire um imóvel. Trata-se de um imposto variável cobrado pelas prefeituras que não excede 2% do custo total da propriedade. No entanto, algumas prefeituras concedem um abatimento, principalmente quando o negócio é feito por meio do Sistema Financeiro de Habitação (SFH).

Escritura

É o contrato feito em Cartório de Notas que legaliza a transação de compra e venda do imóvel. Destina-se a quem está fazendo a compra do imóvel à vista. Em caso de unidades adquiridas por meio de financiamento, o próprio contrato feito com o banco vale como uma escritura de imóvel.

Registro do imóvel

Após fazer a escritura do imóvel, é necessário fazer seu registro no Cartório de Registro de Imóveis. Trata-se de um documento emitido pelo cartório, que assegura, por lei, quem é o proprietário da residência.

O total é calculado por meio de uma soma de várias taxas que podem variar dependendo do estado onde está localizada a propriedade. Além disso, o valor do imóvel é levado em consideração. No geral, não costuma ser maior do que 1% do valor da propriedade.

Outra função do registro é individualizar a matrícula da unidade — o que torna possível a obtenção de um histórico de todas as ocorrências relativas à propriedade e a todos os seus antigos donos.

Vale ressaltar que quem adquire a primeira moradia pelo SFH goza do direito de pagar apenas 50% do registro, tendo a opção de incluir o valor nas parcelas do financiamento.

Certidões de Regularidade do Imóvel

Essas certidões são apenas necessárias para quem compra um imóvel usado. Trata-se de um documento indispensável para garantir que não há nenhuma pendência sobre a propriedade. Apesar de o novo proprietário poder contar com os serviços de um despachante, é possível ele mesmo fazer a emissão diretamente no cartório.

Laudo de avaliação do imóvel pelo banco

É uma taxa cobrada pela instituição para a realização da vistoria do imóvel antes da liberação do crédito. É feito em propriedades financiadas.

New York Tower

IPTU

Sobre o custo do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), informe-se com o antigo proprietário ou mesmo com os vizinhos, para não ter surpresas. Não ignore esse imposto, pois ele varia de acordo com o local e o tamanho do imóvel. Algumas prefeituras parcelam o valor em 13 vezes.

Condomínio

Quanto mais antigo for o condomínio, maiores serão os gastos. Apesar de o valor total ser dividido pelo número de condôminos, as construções mais antigas sempre têm reformas e manutenções para serem feitas. As áreas de lazer também necessitam de manutenções constantes que vão para a conta do condomínio.

Já os novos empreendimentos surgem com o selo de eficiência energética e tecnológica de reaproveitamento hídrico. Essas medidas reduzem custos.

Reparos e obras no imóvel

Por mais que se tenha demorado para fazer a escolha de determinado imóvel, sempre existe algum reparo para ser feito, seja ele novo, seja ele usado. São muitos detalhes que queremos que fiquem de acordo com o nosso gosto e, nesse momento, não medimos esforços para que tudo seja perfeito.

Sendo assim, uma troca de piso, uma pintura na cor de que gostamos, a troca de portas ou outros detalhes quaisquer sempre surgem após a compra. Os custos podem variar de acordo com a mão de obra, o material necessário, o tempo e o tamanho da reforma.

Por isso, deve haver uma previsão para esses gastos posteriores para que não estourem o seu orçamento. Então, fica a dica: se precisar, não hesite em pedir referências e indicações de mão de obra. Assim, tenha certeza de contratar um serviço de qualidade.

E mais: nunca tenha a quantia exata do orçamento inicial. Seja cauteloso, já que reformas e pequenos reparos sempre surpreendem e você acaba desembolsando mais do que o previsto no final das contas.

Compra de móveis e eletrodomésticos

Uma casa nova pede móveis novos, não é mesmo? Se é a sua primeira vez em uma casa, seja alugada, seja própria, esse gasto será muito grande — visto que decorar e mobiliar uma casa com eletrodomésticos e móveis novos sai bem caro.

No entanto, se for apenas uma mudança, você pode precisar comprar somente alguns itens decorativos e poucos móveis. Ainda assim, sua despesa não será pouca, por isso, previna-se financeiramente.

Mudança para o imóvel novo

Os gastos com apartamento novo envolvem também a mudança. Trata-se de uma despesa que não pode ser esquecida. Todos os custos que envolvem esse gasto devem ser pesados. O preço pode variar muito dependendo da distância, da quantidade de itens e da própria transportadora.

Por isso, faça orçamentos com algumas empresas e busque também referências de pessoas conhecidas que tenham utilizado o serviço de particulares que contam com preços mais em conta — o que diminui bastante o valor total. Vale lembrar que o serviço de um caminhão de mudanças não é barato e vale a pena pechinchar.

Ao contratar a empresa de mudança, você deve se informar sobre os serviços que ela oferece. Além do transporte, existe o volume da mudança, que pode necessitar de um caminhão maior ou menor, o empacotamento e a desmontagem e a montagem dos móveis. Ou seja, quanto mais serviços executados pela empresa, mais oneroso será.

Para reduzir os custos com a mudança, vale a pena você mesmo empacotar alguns itens. Se preferir, poderá diminuir ainda mais o custo desmontando os móveis.

Como você pôde conferir neste post, os gastos com apartamento novo não envolvem apenas o valor do imóvel — as despesas vão muito além disso. O importante é saber se organizar financeiramente para esse momento. No mais, é só curtir a sua aquisição!

Você gostou deste artigo sobre os custos que vão além do valor da propriedade? Continue, então, com a visita ao nosso blog e leia também o texto “Metas pessoais: como se organizar para conseguir comprar um imóvel em 2019?” e programe-se para realizar seu sonho!

Fique por dentro do Mercado Imobiliário! Receba conteúdos gratuitamente.

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.